AIZU Restaurante - Gastronomia Japonesa

por Dani Ferraz e Fer Peixoto
Publicado em Penso, Logo Divido

Há dois meses, a discreta abertura do Aizu Restaurante, em soft opening, revelou-se um endereço top para os amantes da sofisticada gastronomia japonesa. Já tínhamos ouvido muitos comentários sobre o local e a curiosidade para conhecer a casa só aumentava!!! O restaurante fica na Rua Senador Xavier da Silva (esquina com a Rua Nilo Peçanha), próximo ao shopping Mueller. Um ponto ideal para almoço executivo de nível superior.

Ontem fomos conhecer o restaurante e o pratos executivos que a casa apresenta para o almoço. Uma seleção do que há de melhor no restaurante, servidos como entrada, prato principal, um prato quente e sobremesa. Um prato super bem servido (nem conseguimos comer tudo), com cortes impecáveis de peixes da melhor qualidade, frescos, com sabores delicados e temperos deliciosos. Com o firme propósito de encantar, o restaurante a la carte também já se firmou como point para o jantar entre os clientes mais exigentes. Com ênfase nos sushis criados nas melhores tradições do Japão, o menu também apresenta assinaturas exclusivas de robatas (espetinhos japoneses grelhados), releituras de pratos quentes e sobremesas singulares. 

A apresentação dos pratos é impecável e as louças da casa são lindas demais!!! São peças da ceramista Hideko Honma e da escultora nipo-brasileira Kimi Nii, que além de valorizarem os pratos equivalem ao primor sugerido pelo Aizu. Modernas, delicadas e de muito bom gosto, como todos os outros detalhes do Aizu.

Chef e Menu
Quem assina o menu enxuto, porém audacioso em sua proposta, é Régis Shiguematsu (ex-sócio do Nakka), um dos mais celebrados sushimen de São Paulo e também sócio do Aizu – ao lado do casal de proprietários Edison Azuma e Hida Igarashi. Régis é reconhecido pelo primor na escolha de ingredientes e pela logística que construiu para garantir aos seus clientes de Curitiba, os melhores peixes recebidos pelo mercado paulistano.

O Aizu Restaurante se diferencia pela experiência a que se propõe, mas a grande particularidade, cabe ressaltar, é a qualidade da gastronomia que exalta preparos tradicionais com ingredientes contemporâneos. Foie gras, trufas e outras especiarias elevam a condição dos peixes nobres, servidos todos os dias. No Aizu, o torô, parte mais nobre do atum é uma realidade dos comensais e não uma exceção para marcar ocasiões especiais.

A experiência completa da alta gastronomia é colocada à prova no sushi bar. O balcão, além de ponto focal de quem acessa o Aizu é também o espaço mais nobre do restaurante. Dali é possível acompanhar todas as manobras executadas pela competente equipe formada por Régis - Billy Tatsushi (ex-Kinoshita, de São Paulo) e Marcos Furtado (ex- Kan, de Curitiba). No balcão, os sushimen dão um show à parte no manuseio de pescados da melhor procedência, como polvo espanhol, vieira canadense, atum, barriga de salmão, pargo, carapau, lula fresca e olhete.

Perfeitamente alinhado ao conceito do menu é a carta de sakês, com seleção ímpar de rótulos, que caiu no gosto dos clientes, sem contar a carta de vinhos, espumantes e champagnes.

Ambiente
Com capacidade total de 40 lugares, o Aizu propõe ainda uma mesa de madeira bruta (linda!!!!!) para reunir oito pessoas, disposta num ambiente sem divisórias. 
A decoração minimalista e intimista destaca o uso da madeira clara e das referências naturais, particular à arquitetura oriental, em contraste com o preto das paredes, que propõe equilíbrio, associada à paleta oriental. A luz baixa garantida por modernas luminárias realçam as telas que mostram desenhos miúdos da estamparia japonesa.

Lugar ao sol
A bela região de Aizu, atual província de Fukushima, é conhecida como a região dos melhores arrozais e sakês, além de hoje ser uma cidade turística – fiel ao estilo samurai – reconhecida, inclusive, como o último reduto de samurais leais ao shogunato Tokugawa. Aizu também é abençoada com paisagens deslumbrantes como o Monte Bandai e o Lago Inawashiro, sem contar o tradicional Castelo de Tsuruga – fortaleza que resistiu a ataques pesados durante a Guerra Boshin. Não por acaso, Aizu Japanese Cuisine tem a qualidade inerente no nome. Tão logo abriu suas portas o restaurante já fez clientes habitués e conquistou indicações em reconhecido prêmio de gastronomia de Curitiba, em nada menos que todas as categorias de seu cardápio.

Os saquês do Aizu

Além do farto cardápio de entradas, sushis, simples ou em duplas, sashimis, makis, robatas (espetinhos) e uma série de pratos quentes, servidos no almoço ou no jantar, sempre com o timbre da alta gastronomia japonesa, o Aizu Restaurante oferece as opções do menu degustação, que são três, e do almoço executivo, com duas escolhas, servido de terça a sexta-feira, aos preços de R$ 54,90 (sequência com entrada, três sushis, três sashimis, sushis prensados e sobremesa) e R$ 74,90 por pessoa, que acrescenta o prato quente. Todos são assinados pelo chef Régis Shiguematsu (ex-Nakka e Empório Santa Maria, ambos de São Paulo).

Outra atração do Aizu é que, a par da carta de vinhos, espumantes e champanhes, a casa dispõe de uma carta de saquês (ou sakês, como preferir), com mais de uma dezena de rótulos premium e que harmonizam com os variados menus. Os saquês premium (Guinjo) possuem grau de polimento superior a 40%, enquanto os saquês super premium (Daiguinjo), com índice acima de 50% Confira a relação: Ura Gassan Ryo Koga, leve, refrescante e perfumado; 65% polimento com 14,8% vol. +2 (acidez); Daassai Junmai Dai Ginjo 50, feito com arroz Yamada Nishiki, leve; 50% polimento com 16% vol. +1 (acidez); Wakatake Onna Nakase Junmai Daiginjo, de sabor aveludado e frutado com leve doçura; 50% polimento com 16,9% vol. +3 (acidez); Gassan Ryu Junmai Ginjo Nama Hazuki, de sabor aveludado e frutado com leve doçura; 60% polimento com 14,2% vol. +3 (acidez); Oze no Yukidoke Aiyama Koshu, delicado, doce e levemente frutado; 60% polimento com 16,5% vol. +1 (acidez).

E mais: Oze no Yukidoke Daiginjo, refinado e de sabor marcante feito com uma das águas mais puras encontradas, com leveza única; 60% polimento com 17,6% vol. +5 (acidez); Hakushika Tradicional, leve e refrescante servido em lata; 50% polimento com 16% volume +1 (acidez); Wakatake Onikoroshi Tokubetsu Junmai, de textura aveludada, levemente doce e aroma frutado; 50% polimento com 16,5% vol. +1,5 (acidez); Nanbu Bijin Junmai Ginjo, elegante, feito com raro tipo de arroz Ginotome; 50% polimento com 16% volume +1,5 (acidez); Shirataki Jozen Mizunogotoshi Junmai Daiginjo, premium da região de Niigata, leve e aveludado; 45% polimento com 15,5% vol. +1,5 (acidez); Rihaku Junmai Daiginjo, notas de melão e arroz tostado com sabor e acidez equilibrada; 55% polimento com 16% vol. +1,6 (acidez).

Matéria publicada em: IC News

Página 1 de 1

X